No budismo chinês, Guan Yu é reverenciado pela maioria dos praticantes budistas como Sangharama Bodhisattva (伽蓝菩萨伽藍菩薩Qiélán Púsà), um protetor celestial do dharma budista. Sangharama em sânscrito significa “jardim comunitário” (sangha, comunidade + arama, jardim) e, portanto, “mosteiro”. O termo Sangharama também se refere à classe dharmapala de devas e espíritos designados para guardar o monastério budista, o dharma e a própria fé. Com o tempo e como um ato de sincretismo, Guan Yu era visto como o guardião representante do templo e do jardim em que se encontra. Sua estátua está tradicionalmente situada na extrema esquerda do altar principal, em frente à sua contraparte Skanda.

De acordo com as lendas budistas, em 592, Guan Yu se manifestou uma noite diante do mestre Chan Zhiyi, o fundador da escola budista Tiantai, junto com uma comitiva de seres espirituais. Zhiyi estava então em profunda meditação em Yuquan Hill (玉泉 山) quando foi distraído pela presença de Guan Yu. Guan Yu então pediu ao mestre para lhe ensinar sobre o dharma. Depois de receber ensinamentos budistas do mestre, Guan Yu se refugiou nas gemas triplas e também pediu os Cinco Preceitos. Doravante, diz-se que Guan Yu fez um voto para se tornar guardião dos templos e do dharma. Lendas também afirmam que Guan Yu ajudou Zhiyi na construção do Templo Yuquan, que ainda permanece hoje.