Lohan na minha vida


Entrei no Instituto Lohan em 2011. Nessa época, não tinha noção do que encontraria ali. Foi preciso, somente, um mês para que eu percebesse que o Instituto Lohan não é somente um lugar que ensina o tradicional Kung Fu chinês, mas também a cultura e a filosofia dessa arte milenar. Nesse  Templo Sagrado, valores como o respeito ao próximo, disciplina e paciência são exigidos e “ensinados” em cada detalhe.

Em 2014, eu me casei e, em 2016, tive um lindo filho e precisei me afastar do Templo. Amo demais a minha família, mas a saudade desse lugar era imensa e consegui voltar em Setembro de 2018.

Mesmo com minha vida muito mais corrida do que há 8 anos, não consigo me “desligar” do Lohan. O motivo? Quando encontramos um lugar onde tudo o que há nele transmite paz à nossa alma, esse lugar se torna o seu segundo lar.