Budismo é uma filosofia de vida baseada integralmente nos profundos ensinamentos do Buda para todos os seres, que revela a verdadeira face da vida e do universo. Quando pregava, o Buda não pretendia converter as pessoas, mas iluminá-las. É uma filosofia de sabedoria, onde conhecimento e inteligência predominam. O Budismo trouxe paz interior, felicidade e harmonia a milhões de pessoas durante sua longa história de mais de 2.500 anos. O Budismo é uma filosofia prática, devotada a condicionar a mente inserida em seu cotidiano, de maneira a leva-la à paz, serenidade, alegria, sabedoria e liberdade perfeitas. Por ser uma maneira de viver que extrai os mais altos benefícios da vida, é freqüentemente chamado de “Budismo Shaolin”.

O Shaolin Kung Fu é descrito como um braço do Budismo Cha´n e o Budismo Terra Pura.

Cha´n (zen) e o Kung Fu são a única e a mesma coisa. O fundador do Budismo, Sidarta Gautama – Sharvatasida Gotami – foi um nobre príncipe guerreiro do clã Shakia, da kasta dos Kshastryas. Ele recebera os ensinamentos das escrituras dos melhores Brâmanes do reino e foi treinado como soldado nas artes marciais pelo guerreiro Shantideva.

Desenvolveu-se em lutas de agarramento, lutas de punho, esgrima, lança, equitação, domar elefante de guerra, arqueria e em 24 diferentes tipos de artes de combate. Mas o destino do rapaz era espiritual. Seu pai, Rei Sudhodana prevendo a inclinação do príncipe ao caminho do Dharma, criou um mundo maravilhoso a seu filho, com todas as regalias e prazeres.

Isso não iludiu Sidharta, que no primeiro contato com o sofrimento do mundo decidiu ser um monge, abandonando as riquezas do palácio, família e vida mundana.

A via do Shaollin Kung Fu é a mesma que de Sidharta. Através do desenvolvimento marcial, adquirir uma mente clara e nobre, e um corpo saudável e forte, preparando-nos para o caminho da meditação.

Os praticantes do Shaolin procuram atingir o “Cha´n de Kung Fu”, ou seja, aprender as técnicas marciais sem fins egoístas. O objetivo dos budistas é a tranqüilidade psicológica. O objetivo do praticante de Shaolin é desenvolver a profunda calma mental usando o Kung fu como veículo.

Conceitos Budistas básicos

As três marcas

Buddha caracterizou todos os fenômenos condicionados (sânsc. samskrita dharma, páli sankhate dhamma), ou seja, todas as coisas da existência cíclica (sânsc. e páli samsara), com três marcas ou selos (sânsc. trilakshana, páli tilakkhana): impermanência, sofrimento e não-eu.

  1. Impermanência (sânsc. anitya, páli aniccha)
  2. Sofrimento ou insatisfação (sânsc. duhkha, páli dukkha)
  3. Não-eu, não-ego, vazio, vacuidade ou insubstancialidade (sânsc. anatman, páli anatta)

As Quatro Nobres Verdades

  1. A nobre verdade do sofrimento (sânsc. duhkha, páli dukkha)
  2. A nobre verdade da causa (sânsc. e páli samudaya)
  3. A nobre verdade da cessação (sânsc. nirodha, páli nirodho)
  4. A nobre verdade do caminho (sânsc. marga, páli magga)

A Nobre Senda Óctupla

  1. Visão correta
  2. Intenção correta
  3. Fala correta
  4. Ação correta
  5. Meio de vida correto
  6. Esforço correto
  7. Atenção correta
  8. Concentração correta

Três treinamentos (sânsc. Trini-shikshani)

  1. Sabedoria (ou discernimento, insight, visão clara, sânsc. prajna, adhiprajna, páli panna, páli adhipanna)
  2. Ética (ou disciplina, moralidade, sânsc. shila, adhishila, páli sila, adhisila)
  3. Concentração (ou meditação, sânsc. e páli samadhi, adhisamadhi)

Cinco Preceitos (sânsc. pancha-shila, páli pancha-sila)

  1. Não matar;
  2. Não roubar;
  3. Não cometer adultério;
  4. Não mentir ou falar de maneira imprópria;
  5. Não usar substâncias que perturbem a mente (álcool, cigarro, drogas e semelhantes).

A Roda da Vida

  • Seres dos infernos (sânsc. naraka, nairayika);
  • Fantasmas famintos (ou espíritos carentes, sânsc. preta);
  • Animais (sânsc. tiryak, tiryagyona).

Na parte de cima, estão os três reinos superiores:

  • Deuses (sânsc. deva);
  • Semideuses (ou antideuses, deuses invejosos, demônios covardes, titãs, sânsc. asura);
  • Humanos (sânsc. manushya).

Budismo Shaolin Chan