1. Pang Kang disse ―O objetivo do carpinteiro e do construtor de carruagens é ganhar a vida com seu trabalho. Será também propósito do homem superior ganhar a vida com a prática de seus princípios?‖ ―Que tens a ver com seu propósito?‖, perguntou Mêncio. ―Ele é útil a ti. Merece ser apoiado e será apoiado. Deixe que pergunte: Remuneras a intenção de um homem ou remuneras seu serviço?‖ Ao que Kang replicou: ―Remunero sua intenção‖.

2. Disse Mêncio: ―Há aqui um homem que quebra o teu telhado e desenha figuras repugnantes em tuas paredes. Seu propósito pode ser o de ganhar a vida com isso; mas tu irás remunerá-lo?‖ ―Não‖, disse Kang. Mêncio então concluiu: ―Nesse caso não é a intenção que remuneras, e sim a obra realizada‖.

3. Disse Mêncio: ―Ao estudar extensamente e ao discutir minuciosamente o que estuda, o objeto do homem superior é capacitar-se para resumir e explicar com brevidade o essencial‖.

4. Disse Mêncio: ―Aquele que quer dominar os homens com sua excelência nunca foi capaz de dominá-los. Deixai que um príncipe trate de educar os homens com sua excelência e será capaz de dominar todo o reino. É impossível que possa chegar a governar um povo aquele a quem o povo não outorgou a submissão de seu coração‖.

5. Disse Mêncio: ―Aquilo pelo qual o homem superior se distingue dos demais é o que guarda no coração: benevolência e correção‖. ―O homem benévolo ama os demais. O homem correto respeita os demais‖. ―Aquele que ama os demais é constantemente amado por eles. Aquele que respeita os demais é constantemente respeitado por eles‖. Há um homem que me trata de modo perverso e nada razoável. Neste caso, o homem superior dirá a si mesmo: ―Deve haver-me faltado benevolência. Deve haver-me faltada correção. Como pode ter acontecido isso?‖

6. ―Examina-se a si mesmo e é acentuadamente benévolo. Esquadrinha o seu íntimo, e é especialmente respeitoso à correção. A perversidade e a má conduta do outro, no entanto, continuam a existir. O homem superior voltará a dizer-se: ―Não terei feito tudo o que podia?‖