A prática do Shaolin Kung Fu  baseia-se no desenvolvimento da Mente Chan (Zen), onde o praticante trilha tal caminho através da Meditação Sentada (坐禅). Para se ter um corpo saudável para a Meditação o Estudante Shaolin pratica o Kung Fu (功夫), que consiste em exercícios de flexibilidade, força, coordenação e poder. O treinamento é complementado com a prática do Qigong (气功), que consiste no desenvolvimento da energia interna vital do universo. A prática com as armas chinesas  é altamente desenvolvida com as tradicionais 18 Armas Shaolin (十八少林武器). As técnicas de agarramento do Shaolin Qinna (少林擒拿) vão complementar a prática do Shaolin Kung Fu juntamente com as técnicas de combate do Shaolin Sanda (少林散打). A cultura Shaolin é baseada nos três tesouros Shaolin (三少林瑰宝), o Shaolin ChanWuYi (少林禅武医) – Zen, Kung Fu e Medicina.

As vantagens do Shaolin Kung Fu

  • Concentração;
  • Flexibilidade das articulações;
  • Controle das emoções;
  • Alto desenvolvimento Cardio-vascular;
  • Fortalecimento dos músculos, ossos, tendões e órgãos;
  • Especialização em incontáveis armas;
  • Combate avançado.

Descrição da aula:

  1. Saudação a Buda
  2. Meditação e/ou Qigong
  3. Exercícios de aquecimento aeróbico
  4. Alongamento calistênico
  5. Exercícios fundamentais (Jibengong)
  6. Prática de formas (Taolu)
  7. Aplicações Sanda  e/ou endurecimento corpóreo
  8. Explanações teóricas e considerações finais
  9. Saudação a Buda

Histórico

O Templo Shaolin foi construído por ordem do imperador Wei (471-500 dC), para o monge budista Theravada Batuo (Buddhabhadra) cerca de 497 d.C. A construção original era muito simples e consistia em um santuário, pagoda e uma plataforma na qual os monges indianos e chineses traduziam Sutras para o chinês. Os dois primeiros monges marciais foram Huiguang e Sengchou e que se tornaram discípulos de Batuo. O grande mestre indiano Bodhidharma (fundador do Chan (Zen), meditou por nove anos nas proximidades do templo de Shaolin e transmitiu seus conhecimentos do budismo e outros métodos, em torno de 540-570 dC.

O mais antigo registro do desenvolvimento do templo de Shaolin e suas artes marciais esta na Dinastia Tang (618-907), que incluiu a defesa do mosteiro de bandidos locais, ajudando o imperador entronado Li Shimin a derrotar o usurpador Wang Shichong na batalha de Hulao em 28 de Maio 621 d.C. Isso inclui a lenda dos 13 monges guerreiros do bastão.

Ao longo da história as artes marciais, o Budismo, a Medicina e a cultura do templo de Shaolin desenvolvidos, inclusive na Dinastia Song (960-1278 dC) Abade Fu Yu (circa 961 dC), colocaram muito esforço para a consolidação e desenvolvimento das artes marciais de Shaolin. Mais tarde, no período Song (cerca 1230 AD), os famosos Mestres Jue Yuan, Li Bai Yufeng e Sou também desenvolveram as habilidades de Shaolin.

O Templo Shaolin teve uma história tanto ilustre quanto trágica, devido a políticas dinásticas  e  guerras que  impactavam o templo e suas atividades  continuamente . Foi destruído e reconstruído várias vezes e como resultado muitas de suas artes marciais foram espalhadas entre os discípulos seculares/ leigos mais do que no próprio templo.

O incêndio  do Templo em 1928 foi significantemente prejudicial visto que muitos monges foram mortos, ao passo que outros se esconderam em reclusão, resultando na pior degeneração das artes marciais de Shaolin da história.

Como resultado dos esforços do governo para restaurar o templo em meados dos anos 1980 e dada a um financiamento adicional de turistas e visitantes motivados por filmes clássicos desse período, o templo estava prestes a ser restaurado. Embora alguns monges tivessem sobrevivido como Shi Dechan, Suxi Shi Shi e Su Yun, eles tinham adquirido apenas uma parte das artes marciais de Shaolin. Isto resultou em um projeto para convidar todos os mestres em torno do templo para re-desenvolver as habilidades de Shaolin, notáveis como Liang Yiquan, Qinghai Zhang, Zhenhai Liu e Liu Baoshan são alguns dos convidados a auxiliar no desenvolvimento do moderno shaolin.